Jogador de Destiny 2 é Multado em $500,000 por Abusos a desenvolvedor

Jogador de Destiny 2 é Multado em $500,000 por Abusos a desenvolvedor

#destiny2

Ele foi multado por Abuso Racial, Doxing e Ameaças Contra Desenvolvedor.

Jesse James Comer, conhecido em alguns círculos obscuros como o “Sociopata do Destiny 2”, acaba de descobrir que ser um perfeito troll na vida real pode ser bem mais caro do que ser um em um jogo online. Ele foi condenado a pagar quase $500,000 em danos por aterrorizar um gerente de comunidade da Bungie e sua família. A penalidade financeira faz Comer engolir um gosto amargo que custa pelo menos $58,000 por ano.

Abusos

Tudo começou quando Comer, descontente com a promoção de um artista negro na comunidade Destiny, resolveu que era uma boa ideia se transformar no pior pesadelo do pobre funcionário da Bungie, cujo nome permanece anônimo.

Em um golpe “genial” que colocaria o Coringa para corar, Comer descobriu o endereço e o número de telefone do trabalhador, enviando-lhe ameaças e, espere por isso, pizzas não pagas! Numa das mensagens, ele sugeriu ao trabalhador (conhecido apenas como John Doe) que “convencesse a Bungie a criar opções no jogo em que apenas pessoas de cor seriam mortas”. Como se essa “ideia” não fosse suficiente, Doe e sua esposa relataram que estavam temendo por sua segurança.

A Bungie, ao invés de contratar um exorcista para lidar com essa ameaça sobrenatural, optou por tomar “medidas caras”, que incluíam segurança 24/7 na casa do funcionário. Além disso, contratou investigadores para rastrear Comer, que neste momento usava um pseudônimo. Uma vez identificado, a Bungie também pagou as despesas jurídicas para levar Comer à justiça.

Decisão

Agora, a corte decidiu a favor de Bungie, considerando Comer culpado por invasão de privacidade e interferência nas operações de negócios. Como resultado, Comer foi condenado a pagar $489,435 à Bungie. Ainda não se sabe quanto desse valor irá para a vítima.

Kathryn Tewson, paralegal que ajudou a Bungie a ganhar o caso, deu sua visão sobre o assunto no Twitter, descrevendo Comer como um “mancha de merda racista”. Ela também destacou que Comer não se deu ao trabalho de se defender no tribunal.

Resta saber se Comer tentará recorrer, embora certamente não pareça que ele tem uma equipe jurídica pronta para defendê-lo. Esperamos que este caso sirva como um dissuasor para os trolls online que acham que têm direito de abusar daqueles na indústria de jogos, e encoraje estúdios como a Bungie a oferecer toda a proteção necessária aos seus colaboradores. Agora sabemos que a corte está disposta a garantir que as empresas sejam compensadas por essas despesas, então, podemos ver mais empregadores assumindo um papel ativo na proteção de seus trabalhadores.

Enquanto isso, Comer provavelmente está se perguntando se todo aquele assédio valia o preço de um apartamento de luxo. Bom, como dizem por aí, “a vingança é um prato que se come frio”, ou, no caso de Comer, um prato servido com uma pizza fria e não paga!